Música Clássica

Música Clássica

Conheça um Pouco Sobre a Música Clássica no Cinema

As Trilhas sonoras começam a surgir com propósitos muito bem definidos, de modo que seria exigir muito, que elas sejam uma grande música quando só precisam ser apenas memoráveis com umas imagens que acompanham.

Algumas parcerias entre os diretores e os compositores – como Spielberg e John Williams, Kieslowski e o Preisner, Leone e Morricone, dentre muitos outros – atestam a centralidade de composição para um ótimo filme, mas é bastante difícil que essas trilhas sonoras tenham uma grande valia fora dos filmes.

Me lembro especialmente dos excelentes trabalhos de Bernard Herrmann para os filmes de Hitchcock e que, afinal, não são nada atrativos quando são isolados na sala de concerto.

E quando os diretores preferem aquela Música Clássica surge a dificuldade adicional de poder conciliar uma composição previamente por escrito com a sua intenção no filme – e daí somos apenas apresentados a algumas associações por algumas vezes felizes, mas que tendem a ser bem óbvias, como no uso da “Cavalgada das Valquírias” e na seqüência do bombardeio de napalm visto em Apocalipse Now (1979).

Por ora, é interessante aqui o uso de algumas músicas que por vez conciliaram bem com a imagem cinematográfica.

Escolhi aqui um filme que, creio, foram significativamente bem favorecidos pela trilha que os seus diretores escolheram e, com o passar de alguns anos, se tornaram simplesmente impensáveis sem elas. Nesse, vemos que a música não acrescentou algo somente a uma cena em particular, mas sim, foi necessária o mesmo para dar o sentido a todo o filme.

2001: Uma Odisseia no Espaço de (1968)

Veja o filme de Stanley Kubrick e o grande poema sinfônico como “Assim falou Zaratustra”, de 1896, de Richard Strauss. Este foi o primeiro filme com a trilha inteiramente formada por algumas composições já escritas, não existindo qualquer música original. Ocorreu que durante a criação do filme, as obras de Ligeti, Johann Strauss e a de Richard Strauss foram usadas como um tipo de fundo musical provisório e útil tanto para a criação de Kubrick quanto para inspirar o Alex North, que foi o compositor da trilha definitiva.

E agora todo o monólito se lembra Richard Strauss

Em 2001 encontramos uma coerência entre a narrativa cinematográfica, a música e a filosofia muito apropriada: Nietzsche sempre se manifestou a vontade de ver em algum dia o seu poema transformado em música – no que chegou bem perto quando inspirou algumas outras composições, como a  “A Mass of Life”, de Frederick Delius, e também a “Terceira Sinfonia” de Mahler.

Porém, somente o Richard Strauss se propôs a dar uma grande representação de Música Clássica plena de algumas idéias de Zaratustra, o profeta criado pelo filósofo alemão, e que, em sua passagem mais famosa, o homem é denominado um ser que reside entre o simples primata e o além do homem – Übermensch.

Zaratustra anuncia para os homens a possibilidade de saltar a sua condição, que depois lhe parecerá tão ignóbil quanto aos símios que nos parecem atualmente – e claro, isso com certeza não tem nada a ver com a evolução física.

E a Música Clássica de Strauss não só ilustra esse passo como o conecta com o pensamento de Nietzsche – seja lá o que viermos a ser depois da transvalorização de todos os valores que Zaratustra do filósofo ansiava, será incompreensível em nosso atual estágio.

Trailler do Filme Uma Odisséia no Espaço 1968:

 

Os benefícios da Música Clássica para os cães


O seu cachorro está sempre estressado, agitado e muito teimoso? então que tal colocar uma música clássica para ele? Ela pode deixar o seu melhor amigo simplesmente bem relaxado, sabia?
Você adora uma Música Clássica? Acredite, o seu melhor amigo, também gosta! É isso mesmo, as músicas podem sim ter grandes influências sobre o comportamento canino, e por esse motivo, acrescente repertórios variados, principalmente, se notar que o cachorro está sempre estressado ou agitado com muita frequência.

Pesquisas realizadas entre os médicos, cientistas e veterinários concluíram que a Música Clássica proporciona vários efeitos terapêuticos em cães, porque depois do olfato, a audição é considerada o segundo sentido que é mais aguçado nestes animais.

Desse modo, não importa a raça ou tamanho do seu melhor amigo: a música pode deixá-lo bem calmo e aliviar o estresse, desde as raças menores como o lhasa apso, pinscher, maltês até às raças maiores como labrador, Colly, Dogue Alemão, entre outros.

Os cães passam, constantemente, por algumas situações de stress, que podem afetar tanto o comportamento, quanto o metabolismo deles. Os médicos afirmam sempre que os estresses nos cachorros são denominados mais acentuados, que em nós seres humanos. Por isso, muitas vezes, é bastante comum cães que passam muito tempo sozinho, bagunçarem a casa.

A pesquisa foi realizada pela Universidade de Viena e chegaram a conclusão de que  a música é, realmente, muito eficaz e atua de forma terapêutica. Porém, os estudos, também, mostraram que a Música Clássica branda é a melhor alternativa. Assim, adicione repertórios deste estilo musical e coloque-o para o seu amigo escutar. Isso ocorre porque o coração dos cães altera a frequência cardíaca para tentar acompanhar a frequência da música. Entre os outros motivos relatados na pesquisa, destaca-se a reação do cérebro devido à vibração das notas.

O resultado deste grande estudo nos cães foi bem claro: cerca de 85% dos cães teve uma redução bem significativa no nível de estresse ao se comparar com os outros cães. Um outro fato interessante, é que o estudo mostrou que os cães que escutam Música Clássica com frequência, são muito mais resistente à situações que demandam o estresse.

Se você quer aprender como treinar seu cachorro de maneira fácil, rápida e segura, recomendo que conheça o site: http://petsitters1.com/ e veja os cursos de alta qualidade oferecido pelos profissionais da área.

A objetividade e a Subjetividade na Música

 

Os 3 Casos de Dualidade de Objetividade e Subjetividade

Os posts de Randau sobre Karl Popper e as música e as discussões que eles geraram me fizeram pensar muito mais detidamente sobre o que é descrever uma objetividade/subjetividade em uma música, pois é a distinção usada pelo Popper ao descrever a música do Bach (como ser objetiva) e a do Beethoven (como ser subjetiva).

Mas, consequentemente não é só nele que encontramos isso, e as implicações desse tipo de descrição em todo o caso são profundas.

Agora cito três casos muito especiais em que essa dualidade de objetividade/subjetividade aparece usada na música – os casos justamente pelos quais a exposição de Popper passa.

Karl Popper

1 -Em muitas das descrições da qualidade de uma unica obra ou compositor, a descrição das qualidades objetivas, disputa com as descrições de qualidades subjetivas a primazia de equilíbrio capaz de se tornar uma música belíssima sem ser prolixa ou até mesmo medíocre, e inteligível e sem ser insípida ou ser grosseira.

2 – Na discussão de poéticas musicais, é a descrição do objetivo que coroa o projeto da música absoluta, enquanto a descrição do subjetivo coroa o projeto da música não-absoluta.

3 – E na relação entre compositor e ouvinte, a descrição de uma objetividade fala do franco diálogo de técnicas dominadas e de referências à tradição entre música e intelecto, enquanto a descrição de uma subjetividade fala do franco diálogo das idéias e dos sentimentos entre música e coração.

Conclusão

A distinção de noções da técnica/inspiração, engenho/arte, parece assim ser o fundo de una descrição objetividade/subjetividade quando procura-se aplicá-la para poder determinar o processo criativo do compositor. Existe uma distância dessa aplicação em relação à teoria – por ser, digamos, uma divisão impossível de se determinar – e a proximidade em relação à prática – porque aquele critério do objetivo com o subjetivo acabaria sendo trazido para incentivar à prática da boa obra.

A ênfase no equilíbrio entre o objetivo/subjetivo faz me lembrar o trabalho do artesão. No subjetivo, que é a confissão do indivíduo. E no objetivo, chega a lembrar aquele trabalho do cientista.

Vídeo Filosofia – Karl Popper:

 

A música e a Experiência do Infinito (“Feldeinsamkeit”, de Brahms)

 

Em Euterpe já conhecemos exemplos em que tanto que a música nos ensina a ler a poesia como a poesia ensina nos a ouvir música – lembramos do assustador doppelgänger que de fato rouba o lugar de um amante gorado e de alegria indizível da descoberta de uma gravidez por um casal.

Hoje vamos ver como a música pode nos ensinar a enxergar na descrição de um simples poema de singeleza quase inócua simplesmente O SENTIDO QUE TEM A VIDA.

A solidão e a natureza

Caspar David Friedrich: em  “O Viajante sobre o Mar de Névoa” ( de 1818)
Há duas coisas em que Johannes Brahms (entre 1833 a 1897) amava profundamente que é: a solidão (F-A-F: Frei aber froh – livre mas feliz) – e a natureza.

A imagem de um homem solitário que encontra o refúgio na natureza, a qual ele abriga como ninguém os seus devaneios e, no meio à cultura artificial de homens, restitui-lhe algo de suas raízes primevas, reverberou muito que fortemente no ideal do artista do século XIX, e que de certa forma até hoje ele tem o seu apelo.

Mas também houve os sentimentalismos e os exageros por parte da estética romântica – ou seja, também haviam artistas deslumbrando-se mais com aquela ideia de ser profundo ao se ver um solitário em meio à natureza ai invés da solidão e a natureza por si (todo “brega”, afinal, isto é um sentimento de segunda mão).

O Poema

Veja rapidamente o seguinte pequeno poema sem título de Hermann Allmers (1821-1902), que publicado em 1860 (Traduzido):
Repouso tranquilo na alta grama verde
E dirijo largamente meu olhar para o alto,
Pelos grilos rodeado a enxamearem sem cessar,
Pelo céu azul magnífico envolto.
As belas nuvens brancas vagam à deriva
Pelo profundo azul, tal como belos sonhos tranquilos.
Sinto-me como se estivesse há muito já morto
E vagasse feliz com elas pelos espaços eternos.

Em uma primeira vista é bonito, mas também de uma passividade meio bocejante. Aprendemos em esperar um tipo de dialética transformadora de arte, e de placidez por placidez costuma a ser associada a paisagens de calendário ou até mesmo a músicas de elevador. Adjetivos banais que são repetidos com apelo barato também não ajudam, como um céu azul “maravilhoso” , as “belas”  nuvens que vagam, os “belos” sonhos tranquilos…

Mas aquela imagem da solidão e da natureza ainda sim está lá, e para Brahms, que verdadeiramente vivenciava e amava, elas simplesmente bastaram para que ele nos mostrasse, e através da música, uma grande experiência de alguma forma bem mais concreta de ambas, e ainda que usando sempre as mesmas palavras.

 

Veja Como Importar Instrumentos Musicais de Qualidade

 

Hoje quero compartilhar sobre como importar produtos dos EUA, especialmente a importação de instrumentos musicais para Música Clássica. Afinal os instrumentos musicais de qualidade aqui no Brasil são muito caros.

Resolvi fazer um levantamento dos melhores sites de instrumentos musicais que existe no exterior, e disponibilizar todos eles para que você que é ou deseja ser um músico profissional, ou até mesmo um músico amador, que possa comprar um instrumento de qualidade e pagando bem menos que os preços praticados aqui no Brasil.

Antes de apresentarmos as lojas preciso falar de alguns pontos importantes quando se compra os instrumentos musicais no exterior, o primeiro ponto a ser observado, e que é de extrema importância é a escolha do frete a ser usado.

Dependendo do instrumento será possível usar fretes bem mais baratos como o USPS , mas dependendo das características como o valor e tamanho, será mais adequado, e às vezes e até necessário o envio por fretes bem mais caros como é o caso do DHL, Fedex ou outros equivalentes.

Fretes courier

O principal motivo da necessidade de se usar os fretes courier em alguns envios é pelo tamanho das caixas geradas. Os fretes USPS que geralmente é a opção mais em conta, é limitado em tamanho, desse modo, não é permitido enviar caixas maiores.

Se caso você pretende enviar um violino, um clarinete ou até mesmo um sax a USPS provavelmente vai atender esse tipo de envio, e não será necessário usar uma empresa de courier.

Já em envios de instrumentos como as guitarras, teclados de muitas oitavas e outros instrumentos de maior tamanho, poderá ser necessário utilizar os fretes courier.

Vantagens do frete tipo courier

Mesmo sendo possível enviar os produtos por USPS pode ser bem  interessante usar o DHL ou Fedex no caso de instrumentos mais caros e frágeis.

O motivo é que essas empresas fazem o transporte de uma forma muito mais cuidadosa do que a USPS, afinal se você gastou cerca de 1400 dólares em uma guitarra top, com certeza não vai querer que ela seja transportada de qualquer jeito.

Uma consideração para ser feita em relação a importação de instrumentos musicais, e que é meu ponto de vista, é que, se você já está economizando muito tanto na compra de algo, que em muitos casos é um instrumento de seu trabalho, não tente reduzir ainda mais os custos no frete.

O uso do Fedex ou DHL no envio pode evitar muitos problemas como mercadorias danificadas.

Pense bem se você já economizou mais de mil Reais em sua compra não se preocupe demais com o frete, e escolha sempre o melhor frete, e não o mais barato.

É lógico que se você está comprando instrumentos resistentes e baratos você pode até usar um frete barato, mas para instrumentos profissionais caros e delicados pense em usar o DHL ou o Fedex.

Outro detalhe muito importante a ser pensado são os valores das mercadorias a serem importadas, quando me refiro ao valor das mercadorias considere o valor do produto + o frete e o seguro.

Se você escolher o envio por formas postais como a USPS vão existir 3 situações:

A Situação 1 –  Produtos até 500 Dólares

 

Neste tipo de importação o processo é de fato muito simplificado sendo emitida uma NTS que deve ser paga na agência dos Correios para a qual a sua encomenda for enviada.

Neste caso você receberá um aviso, com determinados valores a serem pagos e o endereço da agência onde deverá ser retirado a mercadoria e pagar os devidos impostos.

Situação 2 – Produtos acima de 500 Dólares até 3000 dólares

Nestes casos é necessário usar o Importa fácil dos Correios fazendo uma DSI e pagando uma taxa de 150 Reais pelo serviço de desembaraço, quando a mercadoria chegar ao Brasil os Correios enviam um telegrama com as instruções para liberação da mercadoria, o processo não é muito complicado e qualquer um consegue fazer.

Situação 3 – Produtos acima de 3000 Dólares

Neste caso o processo se complica, sendo necessário o Radar e a contratação de um despachante.

Se você escolher a opção DHL ou o Fedex o processo é o mesmo entre 1 e 3 mil dólares, sendo muito mais simples nesse caso, trazer um instrumento entre 500 a 3 mil dólares pelo DHL do que por USPS, e só acima de 3 mil será necessário um despachante para envios feitos por courier.

Sites de instrumentos musicais com algumas restrições de envio

Muitos fabricantes proíbem as lojas que comercializam os seus produtos de enviarem esses produtos para o exterior, nestes casos a sua unica saída seria o uso de redirecionadores como Shopfans e o Shipito.

Sites de instrumentos musicais no exterior

amazon

O Amazon é uma das maiores lojas de comércio eletrônico existente do mundo, e provavelmente a maior e mais confiável, eles enviam vários produtos para o Brasil e outros não. Para os que não são enviados você precisaria de usar um redirecionador de encomendas como foi citado.

musiciansfriend

A Musicanfriend é uma loja excelente e talvez a melhor desta lista juntamente com o Amazon, eles tem muito materiais disponíveis , desde material para músicos convencionais até materiais para DJs.

Eles enviam os produtos com impostos já recolhidos, ou seja, você não paga mais absolutamente nada quando receber no Brasil. Uma opção que pode se usar é o Shopfans ou Shipito em conjunto com a loja, desta forma você pode até tentar a sorte de não ser taxado.

guitarcenter

Envia para o Brasil, ela é uma loja muito conceituada nos Estados Unidos com milhares de avaliações positivas, mas não envia todas as marcas para o Brasil devido a algumas restrições dos fabricantes.

Para conseguir comprar as marcas que não são enviadas para o Brasil é também necessário usar os redirecionadores de encomendas.

www.sweetwater.com

Uma loja de muita qualidade e com muitos consumidores satisfeitos, mas para comprar deles é preciso entrar em contato para verificar se a marca desejada não tem restrições de envio internacional, de qualquer forma é possível usar sempre os redirecionadores evitando assim as restrições.

São classificados como excelente serviço no site stellaservice. Eles aceitam todas as formas de pagamento tradicional ,como Paypal ,cartão entre outros meios.

musicstorelive.com

A maioria dos itens não pode ser enviado diretamente para o Brasil sendo necessário usar redirecionadores de encomendas , o grande diferencial que existe nessa loja são os instrumentos antigos, sim, é possível comprar guitarras com mais de 50 anos de fabricação.

Quer aprender mais sobre as vantagens e o método de importar produtos de maneira correta? Acesse: http://importandoprodutosagora.com/.

 

Curiosidade

Ouvir Música Clássica pode nos tornar mais inteligentes?

Você já deve ter ouvido várias vezes que escutar música clássica — especialmente  composições de Mozart — enquanto estamos estudando ou lendo algo bem complexo pode melhorar o nosso desempenho e até mesmo nos tornar mais inteligentes. Mas será que esse tipo de música realmente tem esse poder?

De acordo com a BBC, esse fenômeno se tornou muito popular que inclusive recebeu um nome: Efeito Mozart.

Nos anos de 90, muitos pais passaram a expor seus filhos a longas sessões de música clássica, e teve até fazendeiros comprando CDs do celebrado compositor austríaco para poder induzir seus rebanhos a produzir leite de melhor qualidade. Com isso, na hora de encontrarmos as evidências científicas sobre o tema, o milagre da música se torna cada vez menos claro.

A ideia surgiu a partir da publicação de um estudo que fizeram, no qual um modesto grupo de estudantes realizou vários testes mentais depois de ouvir uma fita de relaxamento, ficar em silêncio e podendo escutar uma composição de Mozart durante períodos de 8 minutos.

Os pesquisadores concluíram que participantes que ouviram música se saíam melhor em testes nos quais tinham que criar formas em suas mentes, e que esse efeito durava por alguns minutos.

O Efeito Mozart

Entretanto, existe sim uma forma em que a Música Clássica realmente pode nos tornar mais inteligentes. Um estudo feito no Canadá sugere que aprender a tocar um instrumento musical pode melhorar bem o nosso desempenho cerebral, e que um ano de aulas de piano combinadas com as práticas regulares podem aumentar o QI em até três pontos. Infelizmente, essa atividade dá um pouco mais de trabalho do que simplesmente apertar o play e ouvir um cd, dvd.